MPT-MA cobra cumprimento de cota para pessoas com deficiência e/ou reabilitadas pela Gusa Nordeste

Em audiência telepresencial realizada na última quinta-feira (18), fruto de um inquérito civil conduzido pela procuradora do Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) em Imperatriz Fernanda Maria Mauri Furlaneto, a empresa Gusa Nordeste, pertencente ao Grupo Faroeste, se comprometeu a intensificar a busca por pessoas com deficiência e/ou reabilitadas para contratação e cumprimento da Lei de Cotas (Nº 8.213/91).

Imprimir